Tatuagens de Alice no País das Maravilhas

Tatuagens de Alice no País das Maravilhas
Por: André Costa Dicas para Tatuagem

Em 26 de novembro de 1865 era publicada a obra literária infantil Alice Debaixo da Terra (título original Alices Adventures Under Ground). Essa teria sido a origem de As aventuras de Alice no País das Maravilhas. A obra foi criada pelo matemático, sacerdote anglicano e escritor britânico Charles Lutwidge Dodgson, com o pseudônimo de Lewis Carroll.

O conto é cheio de alusões satíricas aos amigos de Dodgson, à educação inglesa e aos temas políticos da época. Esse país das maravilhas que se descreve na história é fundamentalmente criado através de jogos com a lógica, de uma forma tão especial, que a obra chegou a ter popularidade nos mais variados ambientes de todo o mundo, desde crianças ou matemáticos até viciados em drogas psicodélicas.

Referências Históricas de Alice no País das Maravilhas

O livro tem inúmeras interpretações, dentre elas, que a história representa a adolescência, com uma entrada súbita e inesperada (a queda na toca do coelho, iniciando a aventura), além das diversas mudanças de tamanho e a confusão que isso causa em Alice, ao ponto de ela dizer que não sabe mais quem é após tantas transformações (o que se identifica com a psicologia adolescente).

Já no mundo da matemática, Lewis Carroll que era professor de matemática na Christ Church, da Universidade de Oxford, traz algumas alusões e referências de conceitos matemáticos, tanto nesta obra, como na Alice no Outro Lado do Espelho. Podemos ver alguns exemplos logo abaixo:

  • No capítulo 1, No Buraco do Coelho, durante o processo de encolhimento da altura, Alice faz considerações filosóficas acerca do tamanho final com que ficará, com receio de talvez acabar por desaparecer completamente, como uma vela. Esta observação reflecte o conceito do limite de uma função;
  • No capítulo 2, No Lago das Lágrimas, Alice tenta fazer multiplicações, mas acaba por produzir uns resultados estranhos: "Deixa-me cá ver: quatro vezes cinco são doze, e quatro vezes seis são treze, e quatro vezes sete são... Oh, meu Deus!Por este andar nunca mais chego aos vinte!". É assim exposto a representação de números utilizando bases diferentes e sistemas numerais posicionais (4 x 5 = 12 na base 18 notação; 4 x 6 = 13 na base 21 notação; 7 x 4 poderiam ser 14 na base 24 notação, seguindo a sequência).
  • No capítulo 5, Conselhos de Uma Lagarta, o Pombo afirma que as meninas são uma espécie de serpentes, pois ambos seres comem ovos. Esta observação é um conceito geral de abstração que ocorre frequentemente em diversos âmbitos da ciência; um exemplo da utilização deste raciocínio na matemática é a substituição de variáveis.
  • No capítulo 7, O Chá dos Loucos, a Lebre de Março, o Chapeleiro Louco e o Arganaz dão vários exemplos em que o valor semântico de uma frase X não é o mesmo que o valor do inverso de X (por exemplo, Não é nada a mesma coisa!(...)Ora, nesse caso também podias dizer que "Vejo o que como" é a mesma coisa que "Como o que vejo"!); No ramo da lógica e da matemática este conceito é uma relação inversa.
  • Também no capítulo 7, Alice pondera o significado da situação quando o grupo faz a rotação dos lugares ao redor da mesa circular, colocando-os de volta ao início. Esta é uma representação da adição de um anel do módulo inteiro de N.
  • No capítulo 6 e 8, o Gato de Cheshire desvanece , deixando apenas o seu sorriso largo, suspenso no ar, levando a Alice maravilha a notar que já viu um gato sem um sorriso, mas nunca um sorriso sem um gato. É feita aqui uma profunda abstração de vários conceitos matemáticos (geometria não-Euclidiana, álgebra abstracta, o início da lógica matemática, etc), delineando, através da relação entre o gato e o próprio sorriso, o próprio conceito de matemática e o número em si. Por exemplo, no lugar de considerar duas ou três maçãs, considera-se antes os conceito de dois e de três por si só, separados do conceito de maçã, como o sorriso que, aparentemente pertence ao gato original, é separado conceitualmente do resto do corpo físico.

Outra referência importante se dá no capítulo oitavo, três cartas estão a pintar rosas brancas de vermelho, porque acidentalmente plantaram uma roseira de rosas brancas, cor que a Rainha odeia. As rosas vermelhas simbolizam a Casa Inglesa de Lancaster, enquanto as rosas brancas são um símbolo da casa rival York, fazendo deste modo alusão à Guerra das Duas Rosas.

Deixando um pouco as referências de lado, vamos para as Tattoos:

Incríveis e Apaixonantes Tatuagens de Alice no País das Maravilhas