Tatuagens do The Dark Side Of The Moon do Pink Flyd

Tatuagens do The Dark Side Of The Moon do Pink Flyd
Por: André Costa Dicas para Tatuagem

Em 23 de março de 1973, era lançado no Reino Unido o álbum The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd, considerado um dos álbuns mais importantes da história do rock. Que tal viajar nas Tattoos inspiradas neste álbum?

História do Pink Floyd

Fazer esse post para mim hoje é bem legal, pois sou super fã do Pink Floyd "deixando de lado a parte política do Roger Waters", O Pink Floyd foi uma das mandas mais importantes e influentes na história do Rock, foi fundada pelos estudantes Syd Barrett (guitarrista e vocalista), Nick Mason (baterista), Roger Waters (baixista e vocalista) e Richard Wright (tecladista e vocalista), David Gilmour foi integrado como o quinto membro em dezembro de 1967 (letrista e vocalista). 

Em meio a ascensão da manda, eles lançaram no dia 23 de março de 1973 o clássico álbum The Dark Side of the Moon, o oitavo disco de sua carreira, foi um sucesso imediato de crítica e de público. O álbum marca uma nova fase, com letras intimistas e o emprego de efeitos sonoros complexos para a época e na minha opinião até hoje, como múltiplos relógios tocando ao mesmo tempo em "Time" e de caixas registradoras na clássica "Money" são apenas dois dos exemplos desse incrível álbum.

Um Pouco Mais Sobre o Álbum The Dark of the Moon

As cinco faixas de cada lado do vinil refletem vários estágios da vida humana, começando e terminando com um batimento cardíaco, explorando a natureza da experiência humana. O álbum é tão, mas tão profundo que ainda trás referências à cobiça, doença mental e envelhecimento, inspirados pela saída de Syd Barrett, que deixou o grupo em 1968 devido a problemas psiquiátricos. 

A emblemática capa, com um prisma atingido por um feixe de luz transformado em arco-íris, marcou gerações de fãs. The Dark Side Of The Moon apareceu na parada dos discos mais vendidos da revista Billboard por 900 semanas. Ao todo, foram vendidas mais de 45 milhões de cópias em todo o mundo e claro que isso se expandiu para o universo das Tatuagens e as pessoas começaram a fazer esse tipo de tattoo constantemente. Inclusive eu que vos falo agora, aproveitando, dá uma curtida na minha tattoo que aparecerá logo abaixo.

The Dark Side Of The Moon x O Mágico de Oz

Em meados de 1995 começou a rolar pela internet o boato de que o álbum, quando tocado junto ao filme O Mágico de Oz, de 1939, traria muitas sincronias entre as músicas e as cenas do filme. A questão começou a ganhar mais força quando o jornalista Charlie Savage, depois de estudar as semelhanças entre as duas obras, publicou suas descobertas, levando os leitores a tirar suas próprias conclusões.

Mesmo com a banda negando a existência de qualquer conexão entre as duas obras, o boato, coincidência, mito ou o que você quiser chamar, ganhou vida própria, se tornando uma lenda. Abaixo separamos alguma dessas coincidências: 

  • Para que a experiência dê certo, o álbum deve começar a tocar exatamente quando o leão da Metro-Goldwyn-Mayer dá seu terceiro rugido no filme; 
  • Enquanto Dorothy se equilibra na cerca do chiqueiro da fazenda, como se estivesse em uma corda bamba, a música “Breathe” canta “equilibrado(a) na maior onda”;
  • Dorothy cai por acidente dentro do chiqueiro depois de tentar caminhar pela cerca. A queda marca o início da música “On The Run”, muito mais tensa e acelerada;
  • Os despertadores no início de “Time” meio que “acordam” Dorothy, que sonhava com um lugar bonito e livre de problemas - Essa parte eu acho sensacional;
  • Enquanto rola a música “Time”, quando a letra diz “ninguém lhe disse quando correr”, a cena muda para Dorothy fugindo de casa com Totó, seu cachorrinho;
  • “Breathe” se repete no álbum, inserida no final de “Time”, e seus primeiros versos são “Casa, em casa novamente”, enquanto no filme, o vidente diz a Dorothy voltar para sua casa;
  • Conforme o tornado começa, a música “Great Gig In The Sky” fica mais agitada e ouvimos um gemido – análogo aos gritos de Dorothy no filme, pura coincidência não?
  • Quando Dorothy vê a Terra de Oz pela primeira vez, a música “Money” se inicia. Essa é a primeira cena colorida em todo o filme, e “Money” é a primeira faixa do lado B do vinil;
  • Quando Glinda, a Bruxa Boa do Norte, vem flutuando em uma bolha para recepcionar Dorothy na Terra de Oz, a letra de “Money” diz: “não me venha com essa bobagem de que fazer o bem é bom”;
  • Dorothy se despede dos munchkins e da Bruxa Boa do Norte para iniciar sua jornada por conta própria. A transição da cena marca o início da música instrumental “Any Colour You Like”;
  • Dorothy encontra o Espantalho. Sem cérebro, ele canta o que faria se tivesse um. Enquanto o Espantalho dança, os versos iniciais da música “Brain Damage” (“dano cerebral”) repetem a frase “o lunático está na grama”;
  • No final de “Eclipse”, é possível ouvir batimentos cardíacos – bem no momento em que Dorothy põe os ouvidos no peito do Homem de Lata para descobrir que ele não possui coração.

Na minha opinião, tudo isso são apenas coincidências #SQN.... Tire vocês as próprias conclusões, mas não deixem de ver o filme em sincronismo com o álbum e não se esqueça, para dar certo, o álbum deve começar a tocar exatamente quando o leão da Metro-Goldwyn-Mayer dá seu terceiro rugido no filme

Incríveis Tattoos do Álbum The Dark Side of the Moon