Tatuagem e Religião

Tatuagem e Religião
Por: André Costa Especial

Vamos falar hoje um pouco sobre esse polêmico assunto, onde para uns é coisa do Diabo, para outros uma expressão de arte e para outros servem como rituais, como por exemplo em antigas civilizações.

No passado a tatuagem era muito discriminada em um dos episódios mais marcantes da história a Santa Inquisição, comandada pela igreja católica  perseguia, reprimia, castigava e até matava as pessoas que possuíam tatuagem, pois a tatuagem era considerada uma heresia pela igreja.

Mas como são as coisas nos dias atuais?  

O que a Bíblia fala sobre tatuagens?

Na Bíblia encontramos apenas uma passagem, que ocorre no Antigo Testamento no livro de Levítico 19,28:

“Não façais inscrições no corpo por algum morto e não fareis nenhuma tatuagem. ...”

Pois bem analisando essa questão, existem inúmeras traduções para a Bíblia, seja ela católica, evangélica ou protestante, mas em tese, todas se baseiam no mesmo sentido, ou seja, a tatuagem ou marca é considerada como um símbolo pagão de auto-flagelação numa escie de luto pelos mortos.

Vale lembrar que encontramos isso no Antigo Testamento, já no Novo Testamento, não temos nenhuma citação a marca ou tatuagem.

Para muitos estudiosos atuais, a arte da tatuagem não é considerada pecado, exceto quando tatuamos coisas satanicas ou com ligações a tal, como por exemplo: caveiras, escorpiões, cobras venenosas, símbolos satânicos e etc). Isso segundo as religiões cristãs,  pois para outras religiões ou crenças por exemplo, o escorpião, caveira e cobra pode ter inúmeros significados.

O Espiritismo aceita e não condena a tatuagem?

O espiritismo segue uma linha parecida com a católica e protestante, ou seja, não existe uma condenação clara, mas o que existe é a preocupação com o que se tatua.

“A tatuagem não define o caráter de uma pessoa, mas alguns desenhos promíscuos, sensuais ou palavras chulas podem atrair espíritos funestos”

Segundo Divaldo Pereira Franco, “pessoas que tatuam o corpo inteiro ou o enchem de piercings, são almas que ainda trazem reminiscências vivas de encarnações em épocas bárbaras, quando guerreiros sanguinários se utilizavam desses meios para se impor frente aos adversários. “acho que fui um guerreiro bárbaro em outra vida”.

O Judaísmo não permite a arte de tatuar

A Lei Judaica proíbe a tatuagem. A Torá declara explicitamente que "não farás tatuagem em seu corpo." (Vayicrá 19:27).

Esta é uma prática judaica aceita, por estar escrita no Código da lei Judaica - Yoreh Deah 180:1.

"Dus fez o homem à Sua imagem" (Bereshit 1:26). Evidentemente, isso não significa que Dus Se parece conosco, mas sim que nosso corpo é uma expressão finita da infinita sabedoria de Dus. Um Midrash diz até que Avraham entendeu todas as mitsvot ao olhar para as partes diferentes de seu corpo! E como disse Job: "Em minha carne, eu vejo Dus" (Job 19:26).

Segundo explicações e entendimentos, vivemos nosso corpo é a casa de Deus, logo imaginamos uma casa toda de vidro com uma vista maravilhosa, quando sujamos ou preenchemos essas janelas com borrões, perdemos essa visão, ou seja, você não vê mais nada. Sendo o corpo uma janela da alma, que por sua vez é uma centelha do Infinito. Você vai querer sujar sua janela e cobri-la com borrões?

Apesar da proibição, existem inúmeros Judeus não ortodoxos que fazem tatuagem, que em sua grande maioria, são símbolos judaicos, contudo caso o judeu possua uma tatuagem, não será sepultados em cemitério judaico.  

Durante a segunda-guerra mundial, os nazistas tatuavam os judeus com seus números de prisioneiro no antebraço, o que para o judeus era uma terrível afronta.

Porém uma questão que vem criando muita discussão, são os jovens judeus que tatuam os mesmos números de seus familiares no antebraço, uns dizem que é sinônimo de homenagem, mas segundo os Judeus isso é um erro, pois eles estão homenageando os nazistas e não os seus familiares.   

No Islamismo existem duas linhas os Sunitas que não permitem e os Xiitas que permitem.

Segundo Salt Ataya, professor árabe e cultural, afirmou em 2015 que “não há uma resposta ou menção direta se tatuagens são ou não permitidas com base no Alcorão e no Hadith”.

Porém na religião Islâmica existem os Sunitas e os Xiitas e existe uma diferença entre as opiniões de se tatuar.

Os sunitas seguem a crença mencionada em um Hadith, sugerindo que o Profeta amaldiçoa aqueles que fazem tatuagem. “Allah amaldiçoou as mulheres que tatuam ou são tatuadas, e aquelas que removem os cabelos das faces (sobrancelhas, etc), e aquelas que criam um espaço entre os dentes para parecer artificialmente mais bonitas e aquelas que mudam suas características criadas por Allah. Porque então eu não devo amaldiçoar aqueles que o Profeta amaldiçoou? E isso está escrito no Livro de Allah. “O que o Apóstolo dá vocês pegam e o que ele proíbe vocês se abstêm.” Surata 59:7 (Bukhari, Vestimenta, Volume 7, Livro 72, número 815).

Já para os Xiitas que são a parte mais radical da religião Islã, a tatuagem é permitida e não existem restrições.

Segundo o Centro Islâmico no Brasil, “religiosamente a tatuagem não é um pecado, porém é contra os princípios morais humanos. Deus criou o nosso corpo de uma forma tão bela, sendo assim não é correto alterar isso”.

Para finalizar, caso você queira entrar para a religião islâmica e já possua alguma tatuagem, sem problemas, você será aceito normalmente, uma vez que você fez a tatuagem antes de ingressar e conhecer os preceitos da religião.

O Budismo permite e ainda usa a tatuagem como votos religiosos e de devoção

Segundo as tradições Budistas, as tatuagens são bem vindas e muitas vezes utilizados em ritos religiosos e de devoção.

Para termos uma idéia disso, existem inúmeras imagens religiosas com tatuagem, como por exemplo a deidade Fudô Myoo, um dos cinco reis da sabedoria do reino do ventre.


Próximos eventos

Ver mais eventos